Você está aqui: Página Inicial > CAMPUS > ITACOATIARA > Notícias > Campus Itacoatiara contra o mosquito Aedes aegypti

Notícias

Campus Itacoatiara contra o mosquito Aedes aegypti

por publicado: 22/02/2016 11h10 última modificação: 22/02/2016 16h32

Na tarde desta sexta (19), o IFAM Campus Itacoatiara realizou uma série de atividades referentes ao Pacto da Educação Brasileira de Combate ao Zika. A Coordenação de Extensão organizou uma programação de mobilização interna, que teve seu início com uma palestra sobre o combate aos criadouros do mosquito Aedes aegypti, sob o comando da enfermeira servidora Paula Limpias, e público alvo: os discentes do curso integrado de informática, os docentes e os demais servidores do Campus. Durante a palestra, os participantes tiveram a oportunidade de esclarecer dúvidas desde as causas de proliferação da espécie transmissora até as peculiaridades das doenças transmitidas, dentre as quais: o Zika vírus, que é alvo de estudos mais recentes com a finalidade de obtenção de um diagnóstico mais exato acerca de suas formas de contágio e as consequências da doença ao ser humano. Ainda no decorrer da atividade, foi exibido um vídeo que mostrou como construir um tipo de mecanismo de captura do mosquito Aedes aegypti. Esse invento consiste na reutilização de garrafas do tipo PET, com microtule e fita adesiva, a partir de que se torna possível a atração das fêmeas do mosquito para a deposição dos ovos na água, armazenada na armadilha, os quais após eclodirem ficam presos já na sua forma adulta.

Logo após, a coordenadora de Extensão, Deilce Muca, junto com o chefe do setor de estágio e egresso, Sandro Ferronatto, orientaram os participantes a dividirem-se em grupos para a confecção do mecanismo de captura do mosquito, sob supervisão de professores, com material previamente solicitado pelo instituto. O objetivo final era que cada pessoa envolvida nessa ação levasse para casa uma armadilha pronta para que realizasse a experiência em sua própria moradia, assim, uma vez identificado ocorrências do mosquito, o procedimento a ser tomado seria a comunicação aos órgãos responsáveis pelo controle de endemias e afins.

Finalmente, foram efetivadas orientações ao pessoal da manutenção do Campus Itacoatiara pela enfermeira Paula, acerca dos procedimentos corretos de coleta, armazenamento e destino do lixo, bem como a melhor maneira de identificar e eliminar os chamados criadouros das larvas.

O resultado final, portanto, fez refletir, ainda que em parte, os objetivos do Pacto da Educação Brasileira contra o Zika. Para a coordenadora Deilce, foi muito positiva essa primeira ação e, de acordo com ela, já estão em andamento as próximas programações de enfrentamento a tal problemática, as quais tendem a se desenvolverem positivamente na comunidade itacoatiarense.